Conhecer o que comemos através da plataforma Adelaide.Farm

  • A. Teixeira
  • Luís Luz Instituto Politécnico de Beja (IPBeja)

Resumo

Fará sentido desconhecermos as formas de produção da maior parte dos alimentos que consumimos, sabendo à partida que existem formas de produção que, para além de nocivas para o ambiente também o são para a nossa saúde? Fará sentido adquirirmos produtos que percorreram grandes distâncias, quando poderiam ser entregues por produtores perto de nós? Este foi um dos pressupostos que levou à criação, em dezembro de 2011 de uma empresa social* (em termos formais, uma sociedade por quotas) de nome MyFarm.com. Esta empresa foi criada por um professor do IPBeja** e cinco alunos com um capital social de 6 euros, tendo atualmente também como sócio o próprio IPBeja (com a quota de 1 euro). A sustentabilidade na produção de alimentos implica não só o cuidado com a gestão dos recursos que condicionam o crescimento saudável das culturas (essencialmente, mas não só, o solo e a água) mas também a sustentabilidade económica de quem vive da terra. Gerações e gerações de pequenos agricultores têm praticado uma agricultura num modo de produção sustentável (pois só assim a geração seguinte conseguiria continuar a atividade) no entanto a sua sustentabilidade económica tem diminuído de tal forma que tem levado ao abandono dos campos e ao consequente despovoamento rural. Ou seja, por um lado temos um desconhecimento do consumidor sobre a qualidade dos produtos agrícolas que consome, por outro lado temos a pequena agricultura, com modos de produção sustentáveis, e a necessitar de ser valorizada a vários níveis (por exemplo, é do desconhecimento do público em geral, inclusive nos meios académicos que, a produtividade/área de um pequeno agricultor é superior à obtida na agricultura industrial). Foi para resolver esta falha de mercado que a MyFarm.com conceptualizou a plataforma Adelaide.Farm, uma plataforma online que permite que qualquer consumidor conheça os produtores agrícolas da sua zona, saiba os seus modos de produção, conheça a sua paixão pela terra, o impacto positivo que têm na gestão da paisagem rural, a baixa pegada ecológica que deixam, e que ainda por cima vendem produtos de qualidade a preços justos. Através da Adelaide.Farm os produtores agrícolas promovem-se aos consumidores, definem os preços dos seus produtos, fazem a gestão dos seus stocks, analisam dados relativos à sua produção, organizam-se e gerem produções de outros produtores, adaptam-se às necessidades dos seus consumidores, e perspetivam um aumento da sua qualidade de vida. Através da compra informada de cabazes, produtos a granel ou a grosso (para profissionais: restaurantes, cantinas, entre outros) ou da gestão de uma horta virtual (onde podem escolher o que os produtores vão produzir para si), os consumidores conhecem os produtores, e o que colocam à mesa e tomam consciência do que melhor se faz no nosso meio rural, valorizando o em todos os seus aspetos.

Referências

**Em Portugal ainda não existe legislação que enquadre a existência de empresas sociais, ao contrário do que acontece em vários países da União Europeia.
**Instituto Politécnico de Beja.
Publicado
2017-10-04
Secção
Resumos: Simpósio em Produção e Transformação de Alimentos