Avaliação do desempenho de duas membranas de ultrafiltração para a separação da fração proteica de sorelho de ovelha: processos de ultrafiltração/diafiltração

  • A. Macedo Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja, Beja
  • N. Morais Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja, Beja

Resumo

O sorelho de ovelha é um subproduto da produção do requeijão, o qual contem ainda cerca de 60% da matéria seca do lactossoro original, da qual fazem parte componentes nutritivos muito valiosos, tais como proteínas solúveis (que não foram recuperadas no fabrico do requeijão), lactose e outros glúcidos, um baixo teor de matéria gorda e minerais. Atualmente, o único aproveitamento que, pontualmente é dado ao sorelho, em algumas queijarias, é fornecê-lo gratuitamente para alimentação animal, principalmente de suínos, não tendo na maior parte dos casos qualquer aproveitamento. Todavia, os elevados volumes de sorelho produzidos (cerca de 18 L de sorelho são libertados por kg de requeijão), são um problema para os produtores de queijo, os quais se defrontam constantemente com a valorização/impacto ambiental do seu maior subproduto.
A fim de contribuir para a valorização deste subproduto, a proposta deste trabalho foi investigar o desempenho de duas membranas de ultrafiltração para a recuperação da fração proteica de sorelho de ovelha e avaliar métodos de dia/ultrafiltração para a sua purificação.
O trabalho experimental envolveu a realização de ensaios de ultrafiltração e diaultrafiltração até um fator de concentração volúmico (FCV) de 2.0, com membranas de pesos moleculares de corte de 10 e 1 kDa, respetivamente. A área de membrana utilizada variou entre 0.036 m2 e 0.072 m2. Os ensaios de diaultrafiltração foram realizados em modo descontínuo, com diferentes metodologias: só com adição de água (simples) e com adição intercalada de diafiltrado (mista). O desempenho das membranas foi determinado em termos de fluxos de permeado e coeficientes de rejeição aparente aos sólidos totais, sais, proteína e lactose.
As membranas ETNA 01 PP apresentaram menores fluxos de permeado (produtividade inferior), mas melhor seletividade para separar a fração proteica e a lactose, porque os coeficientes de rejeição aparente à proteína foram superiores (95.0%) e os da lactose inferiores (2.7%). A diafiltração simples foi mais eficiente porque permitiu maiores remoções de lactose e sais, respetivamente 30% e 20%, tendo assim contribuído para uma maior purificação da fração proteica.

Publicado
2017-12-22
Secção
Resumos: Simpósio em Produção e Transformação de Alimentos