Estados fenológicos do marmeleiro

  • M. Regato Departamento de Biociências, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja
  • I. M. Guerreiro Departamento de Biociências, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja
  • J. E. Regato Departamento de Biociências, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja
Palavras-chave: cultivares, produtividade, características do fruto, calibre, sólidos solúveis totais

Resumo

No Centro Hortofrutícola da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Beja, está instalado um pequeno pomar demonstrativo de marmeleiro, que foi plantado em 1996, com uma área de 0,067 hectares, com as cultivares Gigante de Vranja e Portugal, num compasso de 6 m x 4 m, conduzidas em vaso.

O presente estudo consistiu na observação dos estados fenológicos e na caracterização do fruto, relativamente aos parâmetros, peso médio, diâmetro transversal e longitudinal, dureza e conteúdo em sólidos solúveis totais e na determinação da produtividade das referidas cultivares. Relativamente aos estados fenológicos, verificou-se que a cultivar Gigante de Vranja é mais temporã do que a cultivar Portugal, iniciando o abrolhamento no início de fevereiro, enquanto esta última, o inicia em meados de fevereiro. O vingamento e o desenvolvimento do fruto também ocorrem mais cedo na cultivar Gigante de Vranja, assim como, a maturação e colheita, que se verificam a partir da segunda quinzena de setembro nesta cultivar, e apenas a partir do início de outubro na cultivar Portugal.

A produtividade média da cultivar Gigante de Vranja foi de 18,5 t ha-1 e a da cultivar Portugal foi de 12,0 t ha-1. O fruto da cv. Gigante de Vranja apresentou o peso de 344 g, grande calibre (87 mm) e forma oblonga (diâmetro longitudinal de 104 mm). A epiderme é de cor amarelo limão, algo brilhante. A polpa é amarelada, consistente (dureza de 8,69 kg/0,5 cm2), doce (16,9 % de sólidos solúveis totais) e de sabor agradável. É muito perfumado quando bem maduro. A cultivar Portugal apresentou um fruto com um bom calibre (85 mm) e forma arredondada (diâmetro longitudinal de 81 mm). A epiderme é de cor amarelo limão com alguma pubescência esbranquiçada. A polpa é amarelada, consistente (dureza de 8,61 kg/0,5 cm2), menos doce (16,1 % de sólidos solúveis totais), ácida e algo adstringente. É perfumado quando bem maduro.

Publicado
2017-12-23
Secção
Resumos: Simpósio em Produção e Transformação de Alimentos