Desenvolvimento de Merenda de Beldroega (Portucala oleracea L.)

  • C. Santos Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico e Leiria
  • J. Marques Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico e Leiria
  • J. Melo Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico e Leiria
  • T. Garcia Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico e Leiria
  • V. Ribeiro Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico e Leiria
Palavras-chave: Merenda de beldroega, Portulaca oleracea L., Alimentação saudável, Dieta Mediterrânica, Inovação Alimentar

Resumo

A inovação alimentar torna-se cada vez mais importante nas sociedades atuais e, como tal, verifica-se que a indústria tem realizado esforços para fazer a diferença nos mercados, tentando ir de encontro com as novas necessidades do público-alvo, pois os consumidores procuram produtos cada vez mais inovadores. Segundo os dados do último Inquérito Alimentar Nacional de 2017 e da Balança Alimentar Portuguesa dos anos 2012 a 2016, verifica-se que a quantidade de hortícolas consumida pelos portugueses é inferior ao recomendado e o consumo de açúcares é muito superior. Estes desequilíbrios na alimentação, juntamente com outros fatores não saudáveis, contribuem para uma elevada percentagem de adultos obesos em Portugal. Assim, desenvolveu-se um produto alimentar inovador para um adulto saudável, cuja ingestão calórica diária seja de 2000 Kcal.

O principal foco do produto foi a utilização da beldroega (Portulaca oleracea L.) como potencial alimento funcional e promotor de uma vida saudável, rica em fibra, vitaminas e minerais. Foram realizadas provas hedónicas e análises químicas para a caracterização do produto formulado. Na análise sensorial (provas hedónicas), foi obtida uma classificação de “gostei moderadamente” em todos os parâmetros, numa escala de 1 a 6, e 73,3% dos consumidores considerou adquirir o produto se disponível no mercado. Relativamente às análises laboratoriais químicas, obtiveram-se resultados discrepantes comparativamente aos valores previamente calculados.

Publicado
2017-12-23
Secção
Resumos: Simpósio em Produção e Transformação de Alimentos