Controlo de infestantes em Horticultura em modo de produção biológico

  • R. Guilherme CERNAS, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Coimbra; GeoBioTec, Universidade NOVA de Lisboa
  • P. Baptista CIMO, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Bragança
  • F. Reboredo GeoBioTec, Departamento de Ciências da Terra (DCT), Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), Universidade NOVA de Lisboa
  • J. Pereira GeoBioTec, Departamento de Ciências da Terra (DCT), Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), Universidade NOVA de Lisboa; CIMO, Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Bragança

Resumo

Na produção de hortícolas em modo de produção biológico (MPB), o controlo das plantas infestantes é de grande dificuldade, limitando a produção devido à competição que exercem pela água e nutrientes. Neste sistema de produção a minimização dos prejuízos causados pelas infestantes, é conseguida normalmente pelo recurso a métodos culturais, físicos e mecânicos, onde é impedida a germinação, limitado o seu desenvolvimento, ou eliminação das infestantes através do arranque/corte/queima, colocação de barreiras ou mobilização do solo, este o mais usual. Neste sentido, no presente trabalho pretendem avaliar-se três técnicas para o controlo de infestantes, nomeadamente a monda térmica, a monda mecânica e a cobertura com tela, em comparação com a testemunha onde não se realizará qualquer intervenção. Para tal, num campo certificado em MPB na região do Baixo Mondego, será instalado um ensaio com as diferentes modalidades em estudo, em cultivo de três espécies hortícolas: couve crespa (Brassica oleraceae L.), alho francês (Allium porrum L.), ambas de cultivo habitual no outono-inverno e pimento (Capsicum annum L.) com um ciclo cultural característico de primavera-verão. O sistema de rega a utilizar é de gota a gota e todas as intervenções necessárias para o desenvolvimento das culturas como por exemplo as fertilizações e tratamentos fitossanitários, respeitam as normas de MPB. A avaliação das diferentes técnicas ocorrerá ao nível: I) do controlo de plantas infestantes; II) da biodiversidade e propriedades físicas e químicas do solo; III) e da produtividade, composição química e nutricional das três espécies cultivadas. Neste trabalho apresenta-se o desenho experimental, as metodologias que serão usadas para avaliação de cada um dos parâmetros e as principais metas que se pretendem alcançar.

Publicado
2017-12-27
Secção
Resumos: Simpósio em Produção e Transformação de Alimentos