Research article: Projeto de Intervenção - Cuidar-te com Arte: Para que nunca me esqueças!

  • Eliana Ruela Lopes Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), 2411-901 Leiria, Portugal
  • Susana Faria de Sousa CICS.NOVA.IPLEIRIA, Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais e Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), 2411-901 Leiria, Portugal http://orcid.org/0000-0002-1316-9804
Palavras-chave: Linguagens Artísticas, Perturbação Neurocognitiva, Cuidadores Informais

Resumo

Introdução: Cuidar-te com Arte: Para que nunca me esqueças! - estudo de caso com perspetiva orientada para a prática, executado na Unidade de Cuidados Continuados Integrados Bento XVI em Fátima, Portugal. Este estudo apresentou-se como um projeto socioeducativo e artístico, implementado junto de indivíduos institucionalizados com perturbação neurocognitiva (PNC major ou ligeira) e dos seus cuidadores informais. Objetivo: O objetivo foi o de compreender qual o papel das práticas artísticas enquanto instrumento de intervenção no restabelecimento de vínculos e laços afetivos entre estas famílias. Métodos: Ao longo de seis sessões de expressão artística, ocorridas quinzenalmente, identificaram-se as potencialidades de linguagens artísticas enquanto linguagens alternativas, no desenvolvimento de uma compreensão empática, procurando compreender o contributo das práticas artísticas na facilitação da expressão de sentimentos por parte dos indivíduos com PNC e no minimizar do sentimento de frustração vivenciado pelos cuidadores informais na comunicação com estes indivíduos. Resultados: Por meio desta intervenção concluiu-se que as linguagens artísticas, contribuem fortemente para a aproximação e (re)criação de laços entre os indivíduos com PNC e os seus cuidadores, na medida em que permitem a estes (re)descobrir capacidades nos seus familiares, que consideravam perdidas. Este tipo de projetos socioeducativos e artísticos possibilita igualmente, atenuar a carga negativa associada a perturbações neurocognitivas. Conclusões: Desta forma, considera-se fulcral um maior investimento em ações deste tipo, que permitam alcançar e preparar um maior número de cuidadores informais e de instituições de solidariedade social.

Biografia Autor

Susana Faria de Sousa, CICS.NOVA.IPLEIRIA, Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais e Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), 2411-901 Leiria, Portugal

Doutorada em Ciências Sociais pela Universidade de Aveiro em 2010. É Professora Adjunta no Instituto Politécnico de Leiria. Publicou 5 artigos em revistas especializadas e 9 trabalhos em atas de eventos, possui 7 capítulos de livros e 2 livros publicados. Possui 10 itens de produção técnica. Atua na área de Sociologia e das Ciências da Educação, tendo vindo a privilegiar como áreas de investigação: a comunicação organizacional, a cultura e identidade(s) coletiva(s) e os processos de transformação identitária. No seu curriculum DeGóis os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Comunicação Organizacional, Nova Gestão Pública, Identidade Coletiva, identidade, Construção identitária, Ensino, Ensino Básico, Identidade Regional, Mudança e Projeto vocacional. Enquanto membro da comissão científica do Programa IPL60+ entre 2010 e 2015 desenvolveu alguns trabalhos no âmbito envelhecimento ativo. Coordena atualmente a licenciatura em Relações Humanas e Comunicação Organizacional no regime de B-learning e integra a Comissão Científico-Pedagógica do curso de Serviço Social.

Referências

American Psychiatric Association. (2014). Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (5ª ed.). Lisboa: Climepsi Editores.
Esperança, A.D. (2013). Desafios da demência: intervenção musicoterapêutica em idosos. Dissertação de Mestrado em Musicoterapia. Lisboa: Universidade Lusíada de Lisboa.
Falcão, D.V. & Bucher-Maluschke, J.S. (2009). Cuidar de familiares idosos com a doença de Alzheimer: Uma reflexão sobre aspectos psicossociais. Psicologia em Estudo, 14(4): 778-786.
Fontes, A. (2015). As artes enquanto estratégias de intervenção da animação sociocultural na terceira idade. Quaderns d'Animació i Educació Social 22:1-13.
Garrett, C. (2005). Impacto Socioeconómico da Doença de Alzheimer. In Castro Caldas, A. & d. Mendonça, A. (Orgs). A doença de Alzheimer e outras demências em Portugal. Lousã: Lidel Edições Técnicas.
Jardim, M.A. (2010). Psicologia da Arte - A imaginação como pedagogia alternativa e a função terapêutica da literatura in Alice no País das Maravilhas. Porto: Universidade Fernando Pessoa
Paulo, D.L. (2013). Grupo de apoio a familiares de pacientes com comprometimento de memória. In Santos, F.S., Silva, T.B., Almeida, E.B. & Oliveira, E.M. Estimulação cognitiva para idosos. São Paulo: ATHENEU.
Perrin, T., May, H. & Anderson, E. (2008). Wellbeing in dementia - An occupational approach for therapists and carers. China: Elsevier.
Publicado
2018-12-30
Secção
Conferência Perspectivas, Projetos e Intervenções sobre o Envelhecimento