Avaliação nutricional e qualidade de vida em idosos institucionalizados e não-institucionalizados

  • Ana Rita Henriques Santa Casa da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos
  • Mónica Serra Santa Casa da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos

Resumo

O número de idosos institucionalizados em Portugal tem vindo a aumentar. O envelhecimento acarreta diversas alterações, podendo estas comprometer a qualidade de vida, a alimentação do idoso e, consequentemente, o seu estado nutricional. Verificar se a qualidade de vida está relacionada com o estado nutricional de idosos institucionalizados e não institucionalizados. Estudo observacional analítico transversal, constituído por uma amostra não probabilística de 132 idosos institucionalizados e 132 idosos não institucionalizados do sexo masculino e feminino. Foi realizado um questionário sociodemográfico, o MNA e o WHOQOL-BREF para avaliar o estado nutricional e a qualidade de vida.(nível de significância de p ≤ 0,05).Durante a realização do estudo foi sempre assegurado o cumprimento dos princípios éticos, nomeadamente através da aplicação do consentimento informado, assim como na garantia da confidencialidade e anonimato dos inquiridos. Estes, por sua vez, não receberam qualquer tipo de financiamento ou contrapartida pela participação, sendo um estudo de caráter voluntário. Em idosos institucionalizados verificou-se que 62,1% (n=82) apresentou risco de desnutrição e 45,5% (n=60) dos não institucionalizados, apresentou estado nutricional normal. O facto de estar ou não institucionalizado influencia também a qualidade de vida nos domínios psicológico e ambiental (p ≤ 0,05). O estado nutricional influencia os diferentes domínios da qualidade de vida (p ≤ 0,05).

Publicado
2015-11-20
Secção
Resumos: Conferência ENNIS & IMNRH