Presença de alterações vocais e autoperceção das mesmas em professores do 1º ciclo do Ensino Básico

  • Adriana Souto ESSLei, IPLeiria
  • Daniela Cartaxo ESSLei, IPLeiria
  • Liliana Dias ESSLei, IPLeiria
  • Paula Meireles ESSLei, IPLeiria
  • Elsa Soares ESSLei, IPLeiria
  • Sónia Pós de Mina ESSLei, IPLeiria

Resumo

Estado de Arte: Os professores são uma classe profissional que apresenta prevalência de alterações vocais. Refere-se então a importância da prevenção e da intervenção atempada para evitar o desenvolvimento de patologias vocais. Sendo esta uma classe profissional de risco e na ausência de informação sobre esta temática na literatura, considera-se pertinente perceber a prevalência e incidência de alterações vocais nos professores.

Objetivos: Pretende-se identificar o número de professores do 1º Ciclo do Ensino Básico com alterações vocais no concelho de Leiria; caracterizar como se autopercecionam relativamente à sua voz e, correlacionar a autoperceção de patologia vocal e a presença da mesma nestes profissionais.

Metodologia: O desenho do estudo é de tipo não experimental, quantitativo, descritivo-correlacional e transversal. Estima-se a participação de 152 professores. Foram utilizados como instrumentos de investigação o Guião de entrevista de Guimarães (2002), o Questionário de autoavaliação do impacto da voz na qualidade de vida (VHI) (2004, traduzido de Jacobson, 1997) e um Protocolo Informal de Avaliação vocal.

Implicações Éticas: Encontram-se garantidos todos os procedimentos formais, éticos e deontológicos.

Implicações para a prática: Com este estudo visa-se obter mais detalhes acerca do desenvolvimento de alterações vocais e das consequências destas no desempenho profissional. Assim, espera-se a troca de informações entre o Terapeuta da Fala e os professores propiciando a consciencialização do problema de forma a detetar o mais precocemente a necessidade de ajuda

 

Publicado
2015-11-20
Secção
Resumos: Conferência ENNIS & IMNRH