O autocuidado na pessoa com Insuficiência Cardíaca

  • Helena Fernandes Martins Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
  • Rui Filipe Gonçalves Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Palavras-chave: Enfermagem, Autocuidado, Insuficiência Cardíaca

Resumo

Introdução: A Insuficiência Cardíaca (IC) é caraterizada como o último estadio de todas as doenças cardiovasculares. Os cuidados de Enfermagem direcionados para adequação da gestão, manutenção e confiança para o autocuidado da pessoa com IC revelam-se uma estratégia fundamental para melhorar as suas respostas às necessidades e cuidados e, consequentemente, a sua qualidade de vida. O presente estudo tem como objetivos analisar quão adequado é o autocuidado praticado pela pessoa com insuficiência cardíaca ao nível da sua manutenção, gestão e confiança. Métodos: Estudo descritivo-correlacional com uma amostra de 65 pessoas com o diagnóstico de IC internadas num serviço hospitalar, que acederam responder ao instrumento de recolha de dados constituído por questionário, constituído por duas partes: a primeira referente à caraterização sociodemográfica e clínica e a segunda referente à escala de autocuidado para a Pessoa com Insuficiência Cardíaca. Resultados: A capacidade de autocuidado é menos adequada nas dimensões de gestão (90,8%) e de confiança (93,8%) do autocuidado e pouco mais adequada na dimensão da manutenção do autocuidado (87,7%). Verificando-se que na dimensão gestão apenas 9,2% dos inquiridos apresenta um score > 70, na dimensão confiança 6,2% e na dimensão manutenção 12,3% apresenta score > 70. Conclusão: Torna-se fundamental dar enfoque às práticas de educação para a saúde direcionadas para as pessoas com IC e seus familiares/pessoas significativa, sendo que o autocuidado constitui o núcleo da temática a abordar.

Biografia Autor

Helena Fernandes Martins, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Cardiologia A_A

Referências

Bub, M.B.C., Medrano, C., Silva, C.D., Wink, S., Liss, P. & Santos, A.K.A. (2006). A noção de cuidado de si mesmo e o conceito de autocuidado na enfermagem. Texto contexto Enfermagem, 15, 152-157.
Ceia, F. (2005). Epidemiologia da Insuficiência Cardíaca em cuidados primários na região autónoma da Madeira: O estudo EPICA-RAM. Revista Portuguesa de Cardiologia, 24(2),173-189.
Evangelista, L.S. & Dracup, K. (2000). A closer look at complience research in heart failure patients in the last decade. Progress in Cardiovascular Nursing, 15(3), 97-103.
Holguín, E.S., Gazquez, M.A.R. & Urrego, L.M.H. (2014). Dificultades con la adherencia al tratamiento no farmacológico de pacientes con falla cardíaca detectados através de seguimiento telefónico. Revista investigacion en Enfermeria: Imagem y Desarrollo, 16(2), 133-147.
Lee, C.S., Gelow, J.M., Mudd, J.O. Green, J.K., Hiatt, S.O., Chien, C. & Riegel, B. (2013). Profiles of self-care management versus consulting behaviors in adults with heart failure. European Journal of Cardiovascular Nursing, 20(10), 63-72.
Linhares, J.C., Aliti, G.B., Castro, R.A. & Rabelo, E.R. (2010). Prescrição e realização do manejo não farmacológico para pacientes com Insuficiência Cardíaca descompensada. Revista Latino Americana Enfermagem, 18(6):1-8.
Maroco, J. (2007). Análise Estatística com utilização do SPSS. Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Marques, M.C., Lopes, M. J., Rebola, E. & Pequito, T. (2013). XIX Jornadas de Cardiologia de Santarém – Escala de Autocuidado para a Pessoa com Insuficiência Cardíaca. Santarém, Portugal: Escola Superior de Enfermagem de Évora.
Pestana, M.H. & Gageiro, J.N. (2005). Análise de Dados para Ciências Sociais: A Complementaridade do SPSS. Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Rabelo, E.R., Aliti, G.B., Domingues, F. B., Ruschel, K. B., & Brun, A. O. (2007). What to teach to patients with heart failure and why: The role of nurses in Heart failure Clinic. Revista latino Americana Enfermagem, 15(1), 165-170.
Riegel, B., Lee, C.S., Dickson, V.V. & Carlson, B. (2009). An update on the self-care of heart failure índex. Journal of Cardiovascular Nursing, 24(6), 485-497.
Rushton, C.A., Satchithananda, D.K, & Kadam, U.T. (2011). Comorbidity in modern nursing: A closer look at heart failure. British Journal of Nursing, 20(5), 280-285.
Seto, E., Leonard, K.J., Caffazo, J.A., Masino, C., Barnsley, J. & Ross, H.J. (2011). Self-care and quality of life of heart failure patients at a multidisciplinar heart function clinic. Journal of Cardiovascular Nursing, 26(5), 377-385.
Publicado
2017-12-30
Secção
Políticas e gestão em saúde